Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Darkwood

Darkwood

Uma nova abordagem aos jogos de terror que causou alguns momentos de grande tensão.

  • Texto: Jon Calvin

Darkwood é um jogo de terror e sobrevivência, onde vão explorar uma floresta misteriosa à procura de respostas para perguntas que não compreendem completamente. O jogo tem uma perspetiva aérea, e passa-se num mundo aberto com excelente ambiente - o companheiro perfeito para uma estória arrepiante. Durante o dia vão explorar esta estranha floresta, mas à noite, é bom que procurem abrigo se quiserem sobreviver para o dia seguinte.

Darkwood nasceu em 2013, depois de ter sido financiado no Indiegogo. Depois disso, passou uma longa fase no acesso antecipado do Steam, e agora conheceu finalmente o lançamento definitivo. É uma jogabilidade de sobrevivência que alimenta a paranóia do jogador, e embora a espaços lembre algo como Hotline Miami devido à perspetiva aérea, Darkwood é na verdade algo muito diferente. É um jogo que combina elementos de sobrevivência e terror com RPG e roguelike.

Logo a partir do início do jogo, os jogadores são colocados numa narrativa complexa onde vão desempenhar vários papéis, gerar percursos alternativos para a estória, e desbloquear um de múltiplos finais. Por isso tudo, a narrativa de Darkwood pode ser muito única ao jogador. É uma estória com o tipo de melancolia surreal que tornou Twin Peaks popular, mas é o seu design bizarro que torna Darkwood tão convincente como jogo de terror. Não é um jogo que vai atrás de sustos falsos, mas de uma experiência tensa e enervante - não é para saltar, é para roer as unhas.

Darkwood

Mecanicamente, Darkwood foi construído em cima de dois elementos de jogabilidade. Um passa pela sobrevivência, a recolha de recursos, e o fabrico de acessórios. O outro, pelo combate e pela exploração através da perspetiva aérea. São dois elementos que vão demorar o seu tempo até serem dominados, já que estamos a falar de um ambiente sem piedade. Os controlos, a câmara, e a forma como a corrida ou o andar muda o cone de visão do jogador, são alguns dos elementos que vão exigir algum tempo de habituação. Em momentos de maior tensão, o atabalhoamento dos controlos torna-se particularmente evidente.

Pelo menos o sistema de fabrico de itens não é complexo, seguindo de perto o que são as expetativas de um jogo de sobrevivência como este. Precisam de recolher materiais, que depois podem unir em estações de trabalho para fabricarem os itens - e também armas poderosas. Durante as horas iniciais, terão de se habituar a esmagar inimigos com o que tiverem à mão, mas ter uma arma como uma caçadeira ou uma espingarda, é uma vantagem preciosa que não vão ter muitas vezes.

Os momentos de maior tensão acontecem sobretudo durante a noite, conforme a escuridão encobre por completo o vosso abrigo. É aqui que o elemento de sobrevivência realmente vem ao de cima, proporcionando alguns momentos de grande tensão. Terão de fechar janelas, preparar armadilhas, e assegurar que o gerador tem combustível para a noite toda, entre outras ações semelhantes. O verdadeiro terror de Darkwood, é que nunca sabem ao certo o que vos pode caçar na escuridão. Portas vão abrir, sombras vão passar junto da luz, e gritos vão ecoar pela casa, tudo enquanto esperam ansiosamente pelo final da noite. Isso, ou tudo o que pode acontecer é alguém bater à porta. Nunca se sabe o que pode acontecer à noite, e esse é o grande atrativo de Darkwood.

O sistema de habilidades do jogo é quase um mini-jogo por si só, motivando o jogador a apanhar a estranha fauna e flora da floresta para cozinharem numa tentativa de concentrarem a sua essência. Depois vão carregar uma seringa com esse líquido e injetá-lo no corpo, com a esperança de que possa oferecer-vos maior poder. O senão é que também podem causarem momentos surreais e alucinações assustadoras. Pior ainda, quando escolhem uma nova habilidade, têm também de selecionar um aspeto negativo para a personagem. Podem aumentar o alcance de visão, por exemplo, mas para isso devem sacrificar resistência ao veneno. Nada é realmente gratuito em Darkwood.

Estamos a falar de um jogo com um design e uma atmosfera de grande qualidade, mas não devem esquecer que estamos a falar de um jogo com um grafismo minimalista. Os gráficos não são o seu ponto forte, mas a arte do jogo compensa essa realidade com um design muito inspirado dos inimigos e do ambiente. Já o departamento sonoro destacou-se com maior facilidade. Os efeitos de som e a banda sonora combinaram na perfeição para a criação e uma atmosfera de tensão e paranóia. Como qualquer bom jogo ou filme de terror, Darkwood é também inteligente na forma como usa o silêncio.

Aqui não vão encontrar um jogo acessível, ou uma experiência tranquila. É um desafio exigente, sobretudo para quem se atrever a experimentar o modo de morte permanente. É um jogo que abraça por completo o conceito de descoberta através de exploração e experimentação, onde a responsabilidade do rumo da aventura está a cargo do jogador e não de setas, pontos de quests, ou dicas no ecrã. É um bom jogo de sobrevivência combinado com um bom jogo de terror, e embora não seja para todos, se são fãs deste género devem experimentar Darkwood quando tiverem oportunidade.

DarkwoodDarkwood
DarkwoodDarkwood
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Estória muito interessante, com várias ramificações e personagens interessantes. Jogabilidade de sobrevivência muito intensa.
-
Controlos ocasionalmente atabalhoadas.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor