Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Metroid: Samus Returns

Metroid: Samus Returns

Finalmente, um novo Metroid, mas terá sido capaz de corresponder às expetativas?

Já não era sem tempo. Quase parece que a Nintendo decidiu abandonar a Samus Aran num planeta remoto, considerando que há uma década que não aparecia um jogo da série principal. Depois de muita insistência dos fãs, a Nintendo parece ter finalmente ganho coragem para ir resgatar Samus, e além do já anunciado Metroid Prime 4, os jogadores podem matar saudades da heroína com este Metroid: Samus Aran para Nintendo 3DS. Trata-se de um jogo "à antiga", com perspetiva e jogabilidade 2D, misturando plataformas com puzzles e alguma ação.

O jogo foi produzido pela Mercury Steam e acompanhado de perto pela Nintendo, e o resultado é um jogo que respeita a jogabilidade clássica da série, sem esquecer alguns toques de modernidade. É um jogo perfeitamente adequado a novatos, que pode muito bem ser o vosso primeiro Metroid, embora existam referências à espera dos fãs mais antigos. Esses vão rapidamente descobrir como usar o ataque em forma de bola, ou como usar bombas para chegarem mais alto, por exemplo. Também presente está o clássico design labiríntico dos níveis, que vai abrindo ao jogador conforme desbloqueiam as habilidades de Samus Aran.

Existem alguns movimentos novos que a Mercury Stream introduziu no reportório da heroína. Com um timing adequado podem bloquear ataques inimigos, uma função que é particularmente importante durante a primeira metade do jogo. É uma adição que acrescenta mais alguma profundidade ao combate, sobretudo quando os inimigos estão próximos. A segunda novidade é a pontaria a 360º, uma adição excelente. Neste modo vão parar Samus onde está, e em vez de movimentarem a personagem, vão rodar a sua mira em qualquer direção, o que abre inúmeras possibilidades. É uma excelente forma de permitir que o jogador dispare com perícia, e é algo que também foi incorporado nos puzzles.

Além deste novo sistema de mira, e do contra-ataque, vão aceder às habilidades mais tradicionais de Samus Aran. Os vários tipos de mísseis, a forma de bola, e as bombas, são alguns dos acessórios que estarão ao vosso dispor durante a aventura. E vão precisar de todos eles, se quiserem descobrir todos os cantos secretos deste mapa. Com tudo isto, é fácil esquecer que Samus Returns é na verdade um remake. O jogo que serve de base a esta nova aventura é Metroid II: Return of Samus, lançado em 1991 para o Game Boy, mas em muitos aspetos é um jogo completamente novo.

Algumas das adições mais modernas podem parecer uma heresia para os fãs mais puros, incluindo o novo scan de mapas, os pontos de tele-transporte, e o sistema de saves automáticos. São elementos que na verdade não tornam o jogo mais fácil, apenas mais tolerável para os padrões atuais. São as chamadas melhorias de "qualidade de vida", e na nossa opinião, são muito bem vindas. O scan permite ter noção de itens que possam estar nas proximidades, enquanto que o tele-transporte apenas suaviza o recuo para áreas que já visitaram - ainda uma característica muito presente em Metroid. Quanto aos save automático, ajudam a atenuar a frustração de enfrentar os bosses mais difíceis.

Na nossa opinião, o equilíbrio entre acessibilidade e dificuldade de Metroid: Samus Returns é muito positivo, mas notámos alguma ausência de urgência no jogo. Não existe grande tensão ou mistério, ou o tipo de entusiasmo e vontade de explorar que está normalmente presente nos jogos da saga. Em parte isso é causado pela caça aos Metroids. A estrutura de jogo exige que tentem encontrar e enfrentem estas criaturas, retirando-lhes ADN para desbloquearem novas áreas. O conceito em si parece interessante, mas os encontros com estas criaturas torna-se repetitivo, longe da qualidade do resto da experiência.

Metroid: Samus Returns foi desenhado de raiz para a Nintendo 3DS, e graças à experiência da produtora, e da própria Nintendo, surge como um título de grande capacidade gráfica na portátil. Os cenários são ricos e vivos, detalhados em várias camadas diferentes, e o jogo tem grande personalidade artística. Algumas texturas não impressionam, mas o jogo compensa ao proporcionar uma experiência de jogo suave com grande solidez. Nota ainda para a excelência do efeito 3D, caso a vossa consola suporte essa função.

Samus regressou finalmente, e embora não seja já o Prime 4 que todos querem, é um regresso a casa muito bem vindo. É uma experiência clássica de Metroid, com um design inteligente e algumas novidades que atualizam a série para os padrões modernos. Não podíamos pedir melhor aperitivo enquanto esperamos por Metroid Prime 4. Bem vinda, Samus!

Metroid: Samus Returns
Metroid: Samus ReturnsMetroid: Samus ReturnsMetroid: Samus Returns
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Bom ritmo e design eficaz. Mecânicas adequadas e com estilo. Excelente pormenor dos cenários.
-
Caçar Metroids torna-se repetitivo. Falta urgência e tensão.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor